... Você pode me ver do jeito que quiser, eu não vou fazer esforço pra te contrariar, de tantas mil maneiras que eu posso ser, estou certa que uma delas vai te agradar...

Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011


Acordar ao seu lado, esse eterno amanhecer por dentro,
um sol interno tão aceso, essa alegria gratuita.
E existe algo em nós que é tão recíproco, cúmplice e intenso.
Dos nossos olhares que dizem tanto sobre tudo, silenciosamente.
Um movimento de corpo que é tão ao encontro o tempo todo.
Da compreensão e paciência a que nos dedicamos diariamente.
E o amor que permeia tanta poesia,
e a poesia que se entrega inteira pras palavras que querem dizer do abraço.
Seu corpo tão moldado ao meu, natureza líquida de água e jarro.
Você me conduzindo à fonte de todas as coisas,
lá onde o desejo se origina.
E nada míngua com o passar do tempo
e mesmo acreditando não ter mais espaço,
cresce, flui, se imensa clareando o que era escuro e frio.
Cada vez mais e mais eu preciso dizer do amor.
Dessa ternura delicada.
Cada vez mais o amor sendo a melhor experiência.
Cada vez mais eu percebendo que se nada no mundo é definitivo,
nossa história eu sei perene.
Uma primavera inaugurada a cada dia.
E mesmo que nada possa ser eterno, mesmo que o "pra sempre" não exista,
eu sei que vou seguir te amando,
pelo menos, pelos próximos 99 invernos.
(E se ainda eu não consigo explicar você pra mim,
eu simplesmente aceito e agradeço).

[Marla de Queiroz]

Nenhum comentário:

Postar um comentário